.




A necessidade da religião

"A religião tem suas origens no desejo de explicar um mundo confuso. É uma projeção num mundo real de todo tipo de preocupações humanas. Ela se torna o  foco de rituais para agradar os deuses possivelmente irado. Oferendas são feitas na esperança de receber favores e bondade. Sempre há o terror da morte e a esperança de que o pior dela possa ser evitado por uma aliança com os deuses. 
Dos estudos das religiões primitivas chega-se à compaixão pelos terrores e confusão que foram responsáveis pela geração dessas crenças e pela assustadora ignorância em que nossos antepassados estavam fadados a viver. Mas também se chega ao respeito pela nossa engenhosidade psicológica, pela nossa esperteza em criar histórias para nos acalmar.

Motivos que levam as pessoas a procurarem a religião. E ainda estamos lidando com isso. Um novo terror existencial irá ecoar pelos séculos pelas descobertas científicas. E ainda estamos lidando com isso. Julho de 1830, Londres, Inglaterra, Charles Lyell publica o primeiro livro de três volumes da sua obra-prima geológica “Princípios da Geologia”.
O livro usa novos métodos geológicos para mostrar que a Terra é mais velha do que se acreditava. A Bíblia diz que ela tem 6.000 anos. 

Lyell diz que o registro fóssil prova que ela tem pelo menos 240 milhões de anos. Baseados na sua observação em fósseis marinhos. 

A ciência moderna estima em 4.5 bilhões de anos.

Em resposta às descobertas de Lyell, o crítico social Jhon Ruskin abandona a fé. Ele diz que sua fé foi amassada até a espessura de uma folha de ouro. Por uma evidência rochosa.

Se ao menos os geólogos me deixassem sozinho, ele escreve, eu ficaria muito bem, mas, aqueles martelos terríveis eu ouço o seu barulho no final de cada verso da bíblia. A ciência tornou-se quase impossível para qualquer pessoa inteligente acreditar na bíblia como verdade literal." 

Trecho no vídeo História da Religião.



Assista ao vídeo




Share on Google Plus

About Elma.C

Livre pensadora.▃▃ Sou uma mulher que percorre um caminho onde o racionalismo não tem meio termo, que enfrenta as intercorrências de suas próprias escolhas sem culpar-se ou aos outros na busca por justificativas, acreditando que será sempre uma aprendiz onde a existência é um eterno descobrir. Sou uma cidadã brasileira e acho que o melhor lugar do mundo está dentro do nosso próprio interior onde temos o poder de nos libertar ou aprisionar. ✔
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 Ponderações:

Postar um comentário

♡ ♡ ♡Obrigada pela visita.